O crush tem filho, isso é um problema

O crush tem filho, isso é um problema?

Atualmente, os relacionamentos não duram tanto tempo como em outros tempos. Isso se deve por inúmeros fatores, como a possibilidade de se separar sem isso ser um grande problema (como era na época dos nossos pais e avós), bem como a certa fluidez dos relacionamentos atuais. Não é incomum ficar sabendo de um casamento que durou menos de dois anos ou um namoro, menos de um mês. Além disso, existem relacionamento intensos, mas que, por algum motivo, acabam. E todos esses casos podem gerar frutos, ou seja: filhos.

A pessoa que possui um filho tem inúmeras responsabilidades. Não importa se a criança tem a guarda dividida, se permanece mais ou menos tempo com um dos pais, a questão é que a vida muda demais quando se tem um filho e só quem vive essa situação sabe.

A verdade é que as pessoas precisam continuar suas vidas após o fim de um relacionamento. Por isso, pode ser que você se relacione com alguém que tenha filhos. Isso vai ser um empecilho para você? Apenas se você quiser.

Foi-se o tempo que o crush ter filho era um problema! É possível lidar muito bem com a situação, de forma madura e adulta. Você deve saber que não será a grande prioridade, afinal, ele possui alguém que depende inteiramente dele. Se isso for demais para você, melhor deixar de lado. Por outro lado, se você tem maturidade suficiente para encarar a situação, saiba que é preciso jogo de cintura, principalmente quando o assunto envolver a ex do seu parceiro. Querendo ou não, eles precisarão ter certo contato, pois compartilham um filho, que é para toda vida.

Deixar de viver uma história porque tem uma criança na história é um grande erro, afinal, todos têm o direito de seguirem suas vidas da melhor forma possível.

Viva o seu amor sem restrições! Saiba lidar com as adversidades!

Venha para o Acqua Motel aproveitar uma noite de amor!

banner_cta_ebook_relacionamento

Leia Mais

Manda Nudes-Será

‘Manda Nudes’! Será?

Com certeza você já ouviu a expressão: Manda nudes! E você, manda? A prática de sexting (sexo virtual, envio de imagens sensuais e com nudez) é bastante comum e muitas pessoas fazem. Logicamente, essa questão divide opiniões.

As redes sociais redefiniram a forma de se relacionar, se interagir. Facilitou para os casais que moram longe, ou simplesmente querem interagir durante o dia. Nessas situações podem rolar fotos com nudez ou, até mesmo, sexo virtual. Não há problema algum no envio em si, mas pode acontecer depois.

Cuide-se

Existem inúmeros casos de fotos íntimas que vazam e causam imensos constrangimentos. Isso ocorre mais comumente com famosos, mas nada impede que alguém mal-intencionado, que tenha acesso as fotos, as divulgue na internet. Outro problema é a confiança em seu parceiro (a). Infelizmente, existem pessoas que não encaram términos ou brigas de maneira adulta e são capazes de publicar as fotos por vingança. É algo muito grave, mas que pode ocorrer.

Por isso, além da confiança na pessoa que você está, não envie nada a completos desconhecidos. Você desconhece o destino que a pessoa dará à imagem. Se mesmo assim você ainda quiser enviar, não mostre o rosto, o ambiente em que está e nada que esteja ligado a você.

Use aplicativos confiáveis

Use aplicativos mais conhecidos e confiáveis, ou os que as fotos desaparecem após visualizado. Dessa maneira, há menos riscos de as fotos causarem problemas para você posteriormente. Você pode usar algum que possua senha para que nada de ruim aconteça.

Alternativa para distância

Muitas vezes, mandar fotos sensuais é uma alternativa para casais que moram longe um do outro. Quando a saudade aperta… Por que não apelar para tecnologia e matar a saudade? Tudo, como já destacamos, com o devido cuidado!

Aqui no Acqua Motel você não manda nudes, mas faz ao vivo e a cores!

CTA_post_600x300px_ebook_viagem-acqua-mar17

Leia Mais

Diferença de idade é um problema

Diferença de idade é um problema?

Apesar de estarmos no século XXI, ainda existe muito preconceito e tabus relacionados à diferença de idade entre os casais. Em geral, as pessoas associam a diferença de idade à interesse ou questões do gênero. Mas pode existir sim um amor verdadeiro entre duas pessoas de diferentes gerações. Por que não?

Famosos com grande diferença de idade

Existem inúmeros casais com grande diferença de idade, vítimas de muitas críticas da opinião pública. Normalmente, as pessoas associam o relacionamento a interesses pela fama ou dinheiro. A questão é: julgar apenas pelo que imaginamos ser é um grande erro e isso reflete em como levamos a nossa vida.

Benefícios do relacionamento com diferença de idade

A pessoa mais velha terá muito mais vivências para repassar par o seu parceiro. A maturidade também pode beneficiar o casal, até mesmo porque existem pessoas mais maduras em relação à sua idade que podem se sentir melhor com pessoas mais velhas.

O que fazer para não ser vítima de julgamentos?

Se você está em um relacionamento onde você é muito mais velho que o parceiro ou muito mais novo, pode ser que as pessoas julguem. E o que você deve fazer em relação a isso? Simplesmente, nada. Você não tem culpa de as pessoas serem ignorantes ao ponto se de incomodaram com uma questão tão pequena como esta. Agir com naturalidade e deixar que as bobagens “entrem por um ouvido e saiam pelo outro” é a melhor maneira de dar um fim na situação. Uma hora eles se cansam das provocações.

Aproveite essa vantagem!

Estar com alguém mais velho é muito vantajoso, aproveite! O seu parceiro teve tempo para viver mais situações que você e amadureceu com todas elas. Não terá mais tantas ilusões quanto as pessoas mais novas e o relacionamento de vocês poderá ser mais pleno e feliz!

Venha curtir o seu amor no Acqua Motel! Temos suítes incríveis para você escolher!

cta_post_600x300px_ebook_signos-acqua-out16

Leia Mais

Qual o melhor lugar para paquera-Barzinho ou Balada

Qual o melhor lugar para paquera? Barzinho ou Balada?

A maneira de iniciar um papo com alguém que você tem interesse depende muito do lugar me que você está. Além disso, cada pessoa prefere um lugar diferente para investir em alguém, seja conhecido ou não. Mas qual lugar tem um clima mais propenso para paquera? Barzinho ou balada? Tudo vai depender do seu estilo e da pessoa em que você está interessada. Como tudo o que diz respeito ao coração, não há regras!

Vantagens e desvantagens do barzinho

O barzinho tem um clima mais intimista, o que propicia um ambiente mais favorável para o bate-papo. Além disso, vocês podem ficar em uma mesa mais reservada e discreta. Logicamente, existem barzinhos com música ambiente, luz baixa e boa comida, mas há outros com música ao vivo e mais animados. A escolha vai do gosto de vocês! A desvantagem é que se você não curtir muito a companhia fica mais difícil de fugir… Além disso, talvez o espaço seja muito romântico, não combinando com um primeiro encontro, principalmente se você não está interessada em nada muito sério.

Vantagens e desvantagens da balada

A balada é o lugar onde tudo acontece! Você pode escolher uma com estilo musical variado, ou mais específico, as opções são intermináveis. O clima é de mais descontração, se rolar aquele clima de “ninguém sabe como continuar o papo”, tem como dar a desculpa de ir ao bar pegar uma bebida ou começar a cantar a música que está rolando. Além disso, o ambiente é mais propício para chegar em uma pessoa que você conheceu no momento. Chamar para dançar uma música é outra maneira de mostrar interesse. Mas se o desejo é uma conversa mais profunda com o crush, melhor deixar a balada de lado. Além disso, em festas assim as pessoas costumam beber além da conta, o que dificulta um after realmente prazeroso.

Qual o veredicto?

Se a sua intenção é mesmo “caçar”, a balada é o lugar ideal! Agora, se você marcou um encontro com alguém em específico e quer conhece-la melhor, escolha um barzinho! De qualquer forma, se for para dar certo, não importa o lugar!

Se realmente rolar, vem para o Acqua aproveitar o restante da noite!

CTA_post_600x300px_ebook_viagem-acqua-mar17

Leia Mais

Traição é só transar com outro

Traição é só transar com outro(a)?

Diversos motivos podem levar ao término de um relacionamento, mas um dos mais evidentes é a traição. Mas quando a traição de fato começa? Isso varia de casal para casal. Perdoar (ou não) a traição também é algo muito pessoal, a única certeza que temos é que não vale a pena voltar para o relacionamento sem ter, de fato, perdoado o erro.

Definir o que traição não é fácil, tampouco, segue regras. Isso vai dos seus sentimentos e das regras instituídas pelo casal para relação. Marcar um encontro (mesmo sem ir nele) é uma traição? Flertar? Olhar? Beijar? Fantasiar com outra pessoa? Fazer sexo virtual? Ou somente o ato sexual em si? Todas essas ações podem se caracterizar como traição se você se sentir traído (a) de fato.

Garantimos que não há uma fórmula nem um estudo científico que classifique em uma tabela organizada o que é o que não é traição. O que é e o que não é perdoável. Dependerá dos seus valores, desprendimento, sentimento e vontade (ou não) de perdoar. Falando nisso…

Perdoar ou não?

Apenas perdoe se o fizer de coração aberto. De nada adianta permanecer (ou voltar) em um relacionamento onde não há lealdade ou confiança mútuas. Outra dica: não aja da mesma maneira que o seu parceiro por vingança, pois isso só vai piorar a situação e tornar você uma pessoa que não é.

Existem outros tipos de traição?

Quando falamos de relacionamentos amorosos esquecemos que podem acontecer outros tipos de traição. O seu parceiro pode trair sua confiança ao fazer algo sem que você saiba e que pode prejudicar o casal. Isso também não é saudável para o casal e precisa ser discutido. Da mesma, forma o perdão deve ser de corpo e alma para não gerar mal-estar no futuro.

Se tem reconciliação para comemorar… Vem para o Acqua!

 

banner_cta_ebook_relacionamento

Leia Mais

Case-se quem puder

Case-se quem puder: tem como fazer uma cerimônia bonita e barata?

Casar é o sonho de muitos casais. Outros preferem apenas juntar as escovas de dente sem realizar nenhuma cerimônia, seja apenas por pura vontade ou porque não têm grana para bancar uma festa ou preferem dar outro destino ao dinheiro. Por outro lado, às vezes nem a falta de verba reduz a vontade de noivos e noivas de subirem no altar. O que fazer nesses casos?

Primeiro, sem ilusões. Festas de casamento são caras e quanto mais requintadas, mais dígitos na hora de “fechar a conta”. Por isso, saiba que você não pode convidar muitas pessoas, pois é isso que define o valor final. Além disso, você terá que abrir mão de alguns detalhes que pesam no orçamento. Confira!

Datas menos concorridas

Case-se em dias e meses que não são muito procuradas pelos casais. Casar-se sexta-feira ou domingo pode ser até 40% mais barato. Case-se no verão em um ambiente aberto para economizar com o salão. O mês de maio também é muito procurado por ser considerado “mês das noivas”, portanto, evite essa época.

Planejado não sai caro

Planeje tudo com antecedência para não levar sustos perto da data. Quanto mais tempo você tiver, mais conseguirá pesquisar e negociar.

Convide quem realmente importa

Seja seletivo na hora de definir os convidados. Quanto mais pessoas a festa tiver, mais cara ela fica. Por vezes, convidamos apenas por convenção, mas o que de fato importa é a presença de pessoas que fazem parte da vida do casal.

Vestido da noiva em conta

Você pode comprar ou alugar um vestido de segunda mão. Têm vestidos que farão você economizar, e muito, sem perder em beleza e elegância!

Cerimônia e festa no mesmo lugar

Quem não tem a intenção de casar no religioso pode fazer cerimônia e festa no mesmo local. Deste modo, economiza-se em aluguel e decoração dos espaços.

Reúna o pessoal e coloquem a mão na massa!

Você pode pedir ajuda dos amigos e amigas para fazer lembrancinhas e, até mesmo, alguns itens decorativos. Busque ideias na internet, existem diversas opções belíssimas, fáceis de fazer e que custarão mais barato do que compradas prontas.

E a lua de mel?

Se você não quer abrir mão da viagem de lua de mel, busque comprar pacotes bem antes da data e recorra aos sites de descontos, bem como compras coletivas.

Vai casar? Faça sua noite de núpcias aqui no Acqua Motel!  A suíte Salvador Dalí é a escolha certa para esta noite inesquecível!

 

CTA_post_600x300px_ebookacqua

Leia Mais

Apps de relacionamento

Apps de relacionamento: devo entrar nessa?

Com toda certeza você já teve contato com aplicativos de relacionamento, mas já tentou usar um deles? Muitas pessoas param logo no cadastro por medo, vergonha ou desinteresse. Podem temer encontrar algum conhecido ou serem encontrados… Mas, em geral, a maioria gosta de usar, nem que seja por simples curiosidade. Atualmente, existem redes específicas para cada objetivo. Quer só pegar? Quer namorar? Quer uma rede onde as mulheres iniciam o papo? Quer conhecer pessoas próximas de você? Ou com interesses semelhantes?  Existem todas as opções!

Conheça alguns aplicativos disponíveis!

Tinder: Nada de levar fora no Tinder! Você só conversa com as pessoas que também deram um “Coração” em seu perfil. Se a pessoa não curtir você (ou o contrário) ninguém fica sabendo, sem sofrimentos. Se o interesse for recíproco, vocês podem conversar em um chat e ver o que rola.

Happn: A grande diferença em relação ao Tinder é que você pode conversar com pessoas que cruzam por você na rua. O comparativo com a localização de outras pessoas não é divulgado. Você também pode curtir o perfil anonimamente e, se a outra pessoa curtir de volta, é possível conversar.

Adote um Cara: Nessa rede social, você “adquire” um gato e o coloca em um “carrinho”. Sim, é isso mesmo. Assim, você abre um canal de comunicação com a pessoa.

Bumble: Aqui a mulher está no controle! Elas são as que decidem se querem papo com os boys que deram match. Se em 24 horas a moça não for conversar, a combinação some.

Devo usar um desses apps?

Acesse os aplicativos se estiver a fim de conhecer gente diferente! Eles não funcionam como os bate-papos em que você não sabia ao certo com quem estava falando. Os apps podem estar ligados a outras redes sociais, o que facilita saber mais sobre a pessoa. Os que funcionaram por localização também são interessantes, afinal, você interage com quem está próximo.

De qualquer forma, tome cuidado! Não marque encontros em locais de pouca circulação ou sem conhecer um pouco mais sobre a pessoa. Use, mas sempre com moderação.

Existem muitos relacionamentos que começam pelos aplicativos! Logicamente, não é uma regra, mas não custa tentar.

Se você quiser focar na missão, vai precisar de certa logística para administrar os crushs! Tem gente que conversa com diversas pessoas ao mesmo tempo, portanto, cuidado! Nada de trocar o nome ou algum detalhe da conversa, pois vai quebrar o clima na hora.

E o encontro?

Se o papo for bom, marque um encontro! De preferência em um local público. Se rolar a química, ótimo, senão, você ganhou um amigo. O primeiro encontro pode ser um pouco estranho ou constrangedor, mas nada que um drink não resolva!

E se o clima esquentar… Vem para o Acqua Motel!

 

banner_cta_ebook_relacionamento

Leia Mais

voltar para o ex

Voltar para o ex, sim ou não?

O término de um relacionamento nunca é uma experiência agradável, apesar de nos fazer crescer – e muito. A depender do tempo juntos, do convívio e das histórias acumuladas pode ser mais ou menos doloroso, mas nunca fácil. O tempo pode passar e o arrependimento bater… E aí, o que fazer nesse momento? Tentar uma aproximação ou não?

Primeiro, você deve pesar os motivos do término. O relacionamento pode ter desgastado, pode ter ocorrido uma traição ou uma quebra na confiança. Pense se você consegue perdoar o motivo do término de todo o seu coração e não apenas superficialmente. Se foi você quem errou, deixe o orgulho de lado e corra atrás do seu amor.

Veja o retorno como um jogo zerado! Todas as fases acabaram e você tem que recomeçar o jogo do zero, sem os benefícios e características que tinha anteriormente.

Dê tempo ao tempo! Quem sabe ficar um período sozinho(a) seja bom para você rever o seu relacionamento, o que deu certo e o que não. Depois disso, com a cabeça mais fria e o coração mais curado você terá mais condições de tomar uma decisão.

Lembre-se de ter pensamento positivo sempre e não pensar que o relacionamento fracassou. Se não tivesse dado certo, não teria durado um dia!

Ouça seus amigos, mas não torne o que eles disseram uma lei. Quem viveu os momentos bons e ruins do relacionamento foi você e só você sabe o que está sentindo. Filtre os conselhos!

Esqueça o que as pessoas impõem como regras: voltar para o ex não é sinônimo de fraqueza ou que você vai “quebrar a cara”. Leve em consideração o que causou o término e descubra se vale a pena tentar novamente.

Você também precisa pensar na outra pessoa. Será que ela está disposta a retornar ao relacionamento de corpo e alma, deixando para trás os problemas que ocorreram?

Como você pode ver, a resposta para a pergunta é: depende! Só não depende quando o relacionamento era abusivo ou quando a falha do parceiro foi muito grave a ponto de não ser uma boa pessoa para se relacionar. Vale o mesmo se um dos dois não consegue superar ou perdoar o erro cometido. Neste caso, é melhor deixar o tempo curar e partir para a próxima!

Teve reconciliação? Vem comemorar a volta aqui no Acqua Motel!      

banner_cta_ebook_relacionamento

 

 

Leia Mais

Como saber se estou em um relacionamento abusivo

Como saber se estou em um relacionamento abusivo

Nem sempre é fácil constatar que você está em um relacionamento abusivo. Pode ser que você ache certas atitudes do seu parceiro “parte do relacionamento” ou “reflexo do temperamento dele”, mas não é bem assim. Além disso, o abuso pode não ser físico, mas psicológico e bastante velado, porém, está lá se você abrir bem os olhos e começar a reparar.

Em primeiro lugar, se você tem alguma suspeita de que está em um relacionamento abusivo comece a reparar em tudo. Confira alguns sinais que representam isso:

“Ele não leva em conta o que eu digo, me faz parecer louca ou burra”

Isso é um claro sintoma de relação abusiva. O seu parceiro faz você parecer boba, não leva em consideração nada do que você diz ou ignora as suas opiniões. Faz com que você se sinta sempre errada quando argumenta, independente do tema da conversa. Isso ocorre de maneira sutil fazendo com que você fique em dúvida de que ele realmente está te colocando para baixo.

“Ele não gosta das minhas amizades ou que converse com alguém longe dele”

Mais um claro sintoma de relação abusiva. O seu parceiro fica descontente ao ver ou saber que conversou com alguém (principalmente do sexo oposto) sem a presença dele. Questiona as duas amizades, sempre coloca defeito nelas e não quer que você as veja com frequência.

“Ele grita e se exalta constantemente”

Qualquer situação é motivo para responder com agressividade e com gritos. Não é necessário estar em uma briga para que ele se comporte dessa maneira.  Além disso, ele sempre faz com que você se sinta errada em tudo o que diz e faz.

“Ele controla tudo o que faço”

Ele quer que controle suas roupas, sua maquiagem, suas atitudes. Acha que pode “mandar” em você e sente ciúmes fora do normal.

“Ele não aceita o meu não e me obriga a fazer o que não quero”

Principalmente na hora do sexo ele insiste até que consiga o que quer, seja o sexo propriamente dito, ou qualquer outra prática que não te agrade. Diz que você tem obrigação em satisfazê-lo (seja nas entrelinhas ou com todas as letras) e não se preocupa com o seu prazer.

“Ele já me agrediu fisicamente de alguma maneira”

Seja um puxão, um empurrão, segurar o seu pulso de forma agressiva, não importa. Todas essas ações são de agressão.

Em todos esses casos você está sim sofrendo um relacionamento abusivo. Saia dessa e parta para outra! Você não merece uma relação assim e sentirá muito mais feliz sozinha.

Leia Mais

namoro-ha-muito-tempo

Namoro há muito tempo, está na hora de casar?

Se você namora há um certo tempo provavelmente já ouviu (inúmeras vezes) aquela pergunta clássica, vinda de uma tia, durante um almoço de domingo qualquer: quando vocês vão casar? Se você e o seu amor ainda não pensaram nisso ou não desejam falar sobre, a resposta deve ser: ainda não sabemos. E vocês não têm qualquer obrigação de saber!
Não há um tempo certo para casar e não importa se vocês namoram há 15 anos: se não desejam colocar a aliança no dedo anelar esquerdo não há qualquer imposição moral ou social que mude isso.
Há quem pense que existe um tempo médio para namoro, outro para noivado, em seguida o casamento e, por fim, a vinda dos filhos. Você deseja seguir isso? Ótimo, é a sua escolha. Mas caso não queira, não há mal algum!

Planejamento em casal

Vocês podem pensar em um test drive: que tal morarem por um período juntos, dividindo o teto, as contas, as tarefas e responsabilidades? Deste modo, fica mais fácil saber se a convivência entre vocês é, de fato, saudável e merece se perpetuar. Pode ser que vocês não vejam no casamento (a cerimônia em si e papéis de comprovação do enlace) tanta importância, mas tenham outro conceito de matrimônio: a união entre duas pessoas que se amam, que dividem as tristezas e as alegrias, os projetos e os planos para o futuro.

Decidam juntos a hora de casar!

A melhor forma de decidir o futuro e a relação de vocês é ignorando toda e qualquer opinião dispensável dos que julgam saber o que é certo. Leve em consideração o que você e o seu amor querem e sentem. Levem em conta o orçamento que dispõem e quais são as suas prioridades. Decidam juntos o melhor caminho a ser traçado e não deixem que esta escolha modifique o amor entre vocês, bem como o espírito de eternos amantes que todo casal conectado possui.

Para se conectar ainda mais com o seu amor, aproveite uma das suítes do Acqua Motel!

 

banner_cta_ebook_relacionamento

Leia Mais